... o local onde grito sem medo, nem censuras...

09
Jan 10

Ontem ao ligar a net, como habitualmente cá por casa, a passear por páginas vistas e revistas, sem saber muito porquê fui a uma zona que não costumo frequentar... as mensagens! E assim me deparei com uma msg de alguém que em tempos odiei e ataquei mais que nunca. Bem, como tantas vezes já escrevi por aqui, alguém a quem na altura me fazia sentir necessário esse dedo na ferida, talvez para camuflar a dor que eu própria sentia. Ontem quando me deparei com aquela mensagem, a minha primeira sensação foi muito semelhante ao dia 24 de Abril de 2008, com o frio nervoso a percorrer-me no corpo e com um pensamento constante: "o que foi agora, eu estava quieta no meu canto, e se alguém te ofendeu não fui eu!". Mas não, foi muito claro à medida que lia aquela mensagem, que não se tratava de um ataque, mas sim se um limpar de problemas na vida ao começar de um novo ano.

Devo confessar que li a mensagem com o máximo de atenção, todas aquelas palavras me diziam muito, e eram palavras qu me poderiam descansar aqui no meu ser, destruir fantasmas que me assolam e percorrem a minha relação por muito que tente viver em negação...

Foram palavras sábias na verdade, de alguém que me pareceu ter feito uma retrospectiva na vida, que percebeu que apesar de atacada por mim, foi uma defesa de quem amava e não queria era atacar quem tinha ao lado, no fundo e como bem sabemos a três (sendo dificil ou não essa asumpção), único principal culpado. No fundo, falamos de uma história de dor, que no meu caso deu origem a muitas lágrimas, a muito auto-consolo nos meus próprios braços, num qualquer canto do meu espaço. Deu origem a minha dor... mas esta dor só foi sentida pelo o amor que pairava, pois só aqueles que verdadeiramente amamos nos podem magoar de tal maneira.

Como respondi ontem, num texto não pensado e passado directamente para as palavras em tom de resposta de efeito rápido, mas longa, compreendo hoje perfeitamente o que se passou. E não era o meu alvo correcto, mas foi mais fácil assim, e apesar de ter necessidade de me desculpar da situação, pois de toda não fui correcta, na verdade, se assim não fosse, hoje em dia não tinha ao lado a pessoa que tenho. E essa pessoa é a correcta, é verdade estava no olhar dele, estava bem no centro dele só não queria era de todo assumi-lo, tomar decisões é algo muito dificil e às vezes custa mesmo muito a sério! Um segredo... há tanto de tempo que não ouço "não sei tomar decisões"... constatei isto outro dia, sinal de que também eu lhe trouxe alguma estabilidade. É nisto que apesar de tudo, sentimos que as coisas valeram e valem a pena. É triste ter sido assim, ter resultado no que resultou, mas nem sempre somos tão crescidinhos como julgamos ser. Nem sempre agimos com a integridade devida, nem sempre somos fiéis aquilo que até nós próprios acreditamos.

Mas hoje, e sem dúvida nenhuma, após aquela mensagem, a que prontamente respondi, dizendo o que há muito ia dizendo aos meus por meias palavras, encerrei um capítulo. E por isso mesmo o meu muito obrigada, pois precisava desta calma na minha vida.

E a razão principal prende-se com o facto de olhar para ele e ver que sempre foi verdade esse olhar que me mostrava de te amo, e que sim, lhe era dificil partilhar com alguém, e que só o faz com plena certeza do que sente... e que o fez! E ouvir de alguém, que apesar do engano me diz que via o mesmo em relação a mim, sim, diz-me muito!

Após o enviar da resposta, despachei-me a ligar para ele. Não queria deixar pontas soltas, nem tão pouco vir a ter chatices e confusões desnecessárias. E assim que chegou a casa sentámo-nos, e pela primeira vez, tivémos uma conversa clara, sem excesso de mágoa (embora não minta, a mágoa não desaparecu por completo), sem lágrimas, sem gritos, sem "afasta-te". De mão dada conversámos sobre isto, partilhei-lhe finalmente o que sentia e como me senti com aquela mensagem...

E assim abraçados encerrámos finalmente um capitulo.

 

Preciso no entanto referir que as pessoas me podem deveras magoar muito, mas que sem dúvida o tempo cura mágoas, que esta mágoa e este ódio (sim, é aquele sentimento que sentimos quando alguém nos magoou e até lhe queremos mal por pouco tempo que seja), passa também ao longo do tempo desvanecendo-se e que sem dúvida com a devida justificação desaparece totalmente. Hoje tenho pena que alguém tão importante poara mim tenha simplesmente perdido uma amizade que sei importante... há coisas que não se misturam e a amizade não se mistura com prazer cranal, eu aprendi isso na vida, muitos aprenderam de pior maneira. Como costumo dizer, veremos o dia de amanhã, porque a vida dá voltas imensas, e quando crescemos, tornamo-nos capazes de tirar pequenas pedrinhas dos sapatos que nos dificultavam a caminhada.

É bem verdade, as pessoas não mudam, mas crescem.

Obrigada por termos crescido todos, faz falta a uma vida Carpe Diem...

publicado por Ovelha Negra às 11:26
sinto-me: aliviada

Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
14
15

19
21
22
23

24
26
27
28
29
30

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO