... o local onde grito sem medo, nem censuras...

05
Mai 10

... a tentar ganhar coragem...

 

 

 

... jogos que me vão destruindo...

publicado por Ovelha Negra às 18:29

Julgo que a minha separação está eminente. Por muito que se tenha tentado, por muito que se tente esquecer isto e aquilo, há sempre aquelas alturas desagradáveis que tudo se diz. E que magoa.

Esta noite que passou dormi no sofá, esta noite que virá também o farei.

Hoje sei que não quero estar com ele, simplesmente não quero, depois do que disse. Não foi mau, foi talvez no fundo sincero, mas mais uma vez que a história que nos atormenta veio à baila, mais uma vez no lugar de assumir um erro, culpou-me a mim. Já me conhecia, faço demasiadas perguntas, demasiada pressão.

Há uns tempos que venho a ouvir isto. Percebo claramente que é o que sente na verdade. E não ando a fazer um esforço há 3 anos (como ele diz, apesar de só há cerca de 3 anos ter sido invadida no meu espaço com uma mensagem), diz que foi nessa altura que começou a pressão. Que por essa razão não assumia nada comigo, porque me conhecia, sabia que eu era assim.

Lembro-me de um dia ter chorado na minha cama (acerca de toda esta história que ainda me destrói), dizendo-me que me ía perder. Isto já foi há uns 2 anos. E hoje digo-lhe, sim vai-me perder. E nesse dia escusa de me esperar sentado à porta de casa, desesperado para que eu o ouço, pedindo-me para que não chore, para lhe bater em vez disso.

Sim, as coisas estão bem perto do fim. É aqui que se vê a nossa fragilidade.

Ontem dizia-lhe que ainda hoje, quando por vezes estou a fazer amor com ele, me vem a imagem dele com ela (porque sim, porque havia uma alternância), e respondeu-me que se calhar não o deveria fazer. Tem toda a razão, não tenho mesmo. Não tenho que estar ao seu lado, não tenho que estar ao lado de alguém que foi mais que incorrecto e que julga que a vida pode continuar para toda a gente sem consequência.

Um dia vais perceber te garanto, um dia vais sofrer o que acabas-te de perder. Um dia vais ter verdadeira consciência do teu verdadeiro erro. Vais perceber que me magoas-te para a vida. Vais perceber que choro ainda hoje rios de lágrimas quando me lembro. Vais perceber que fiz um esforço enorme para voltar a confiar nas tuas palavras, que em tempos foram grandes mentiras enquanto me olhavas nos olhos.

Um dia vais perceber.

E eu não vou estar aqui.

Sou bem mais importante que isto, e não tenho dúvidas que mereço bem melhor!

 

 

publicado por Ovelha Negra às 10:11

Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
13

16
17
18
19
20
21
22

23
24
26
28

30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO