... o local onde grito sem medo, nem censuras...

27
Fev 11

Desde dia 19 de Fevereiro que tenho um post para escrever. Aliás, desde esse dia que o tenho escrito, prontinho a passar para aqui.

Ainda não o tinha feito, pois esta semana foi a semana de dar a novidade a todos e aos demais!

Já fui colocando algumas coisas, que terão a sua explicação clara quando colocar aqui o post que está escrito há uma semana.

Mas agora, e sem que provavelmente fiquem algumas dúvidas, cá fica uma prova do que se passou e principalmente irá passar.

 

(De qualquer das formas, a quem tiver acesso a este blog e a eventualmente ao meu FB, por favor não coloque lá nadinha! Ainda há pessoas que não sabem, e eu sou da opinião que uma rede social não é o local indicado!)


 

 

publicado por Ovelha Negra às 17:18

Ninguém vê este espaço, e eu quero começar a levantar o véu (e que lindo título para este post).

Hoje deixo aqui a segunda parte...

 

 

As filhas do Mondego a morte escura

Longo tempo chorando memoraram,

E, por memória eterna, em fonte pura

As lágrimas choradastransformaram

O nome lhe puseram, que inda dura,

Dos amores de Inês, que ali passaram.

Vede que fresca fonte rega as flores,

Que lágrimas são a água e o nome Amores.

 

 

Canto III, Os Lusíadas

publicado por Ovelha Negra às 17:02

Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
16
17
18
19

20
21
22
23
24
26



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO