... o local onde grito sem medo, nem censuras...

05
Abr 10

À medida que fui pensando neste post, me deixava mais segura o facto de apenas 3 pessoas que o lêem saberem quem sou. E claro, provavelmente só essas 3 o acompanham! Mas como isto é de mim para mim...

Este post, é talvez mais... consporcado, pornográfico (e sim, se leram o anterior, este será pior!).

Como já tinha referido, comprei um brinquedo (mais um), para a minha relação. Porque isto de relações é assim mesmo, e faz-nos bem (e sabe-nos tão bem!) a inovação e o por vezes diferenciar.

Ontem, regressada da viagem, acabei por chegar bastante tarde (mais tarde do que julgava, mas na verdade a pressa para regressar também não era muita! :P

Lá tratei de deixar todos os sacos que uma mulher é capaz de levar para apenas 3 dias (e haviam de ver a casa que a M. levou, ela sim levou até a mobília!, bem adiante).

Peguei no nosso novo amigo e atirei-o para ele que comia bolachinhas no sofá em frente à TV que nem criança (uma combinação perfeita com aquilo que acabava de lhe atirar para as mãos!).

Impossível o sorriso não lhe rasgar na cara, e deixei-o a olhar os pormenores enquanto fui à casa-de-banho e arrumar mais umas tralhas!

Assim que voltei e finalmente me sentei, roubei-lhe um beijo, estava com imensas saudades de um beijo dele!

Entre "quantas pilhas leva?" e "o quê, tantas?", e o ir buscar a pilhas e pôr aquilo a girar (bem, e vibrar, em rotação... arranjem um!), lá propôs, vamos experimentar isto aqui?

Claro que sim, foi o que o meu corpo respondeu, claro que sim!

Fui-me arranjar, vestir uns adereços de roupa, que tornassem o momento ainda mais estimulante (leia-se excitante!).

E assim regressei para junto dele, umas meias de ligas, com um cinto de ligas, uma lingerie rendada... tudo prometia.

Pedi-lhe para fumar uma, a minha vergonha/inibição natural, não me ía deixar soltar naquele momento, em que o libertar total era exigido!

Fomos para a cozinha, sentou-me na bancada, acendeu-a para mim e deu-ma para fumar enquanto me tocava em todo o corpo, alternando as mãos e a boca...

Dali levou-me para a sala, em que a prioridade era eu ter prazer, e foi aí que entrou em cena o nosso amigo, que mal apareceu começou a fazer maravilhas!

Bem, saltei aqui umas partes, porque a imaginação fértil de alguns leitores os pode enojar.

Termino só dizendo que fomos para o quarto, que lá foi um misto intenso de amor e prazer, onde os níveis de excitação foram os mais elevados. Onde estava díficil a concentração, onde os orgasmos se mantinham ali iminentes, à flor da pele, resultado de prazer gigantesco.

Bem...

 

(suspiro, respirar fundo), foi só "das melhores que dei em toda a vida" disse ele... e eu simplesmente sorri...

 

 

... porque o adoro olhar quando é óbvio que está mais que a gostar...

 

... porque esta entrega física a 100% é melhor que qualquer coisa...

 

 

...(e porque a minha insegurança me exige ser a mulher que mais prazer lhe dá no sexo!)...

 

 

... qualquer coisa aquele coelho, qualquer coisa...

 

 

... E AQUELE HOMEM É O MÁXIMO! O MELHOR SEM DÚVIDA!

 

 

(e eu tenho termo de comparação!:P).

 

publicado por Ovelha Negra às 11:09
sinto-me:
tags: ,

Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
14
16
17

18
19
20
21
23

27


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO