... o local onde grito sem medo, nem censuras...

14
Jan 09

 


14/Nov 10:51
 
 
Sou torta! Tenho mau feitio, ressono se tenho o nariz entupido, chateio-me com pouco e num instante elevo a voz qd me chateio. Desconfio de tudo e todos, acho sempre que há palavras por trás que as pessoas não querem dizer.
Sinto sempre que é impossivel as pessoas sentirem o mm que eu, partilharem da mm forma aquilo que estou a sentir e principalmente serem para mim como sou para elas.
Dedico ao máximo a quem gosto, mas espero sempre o retorno. Sim!, faço porque espero que me façam.
Fujo rapidamente do que dói, e receio sempre largar uma lágrima, não luto por algo que considero perdido, desisto na altura certa.
Quebro o orgulho, dou a mão à palmatória quando sei que estou errada, peço desculpa, baixo os olhos e espero a pancada.
Defendo e cerro os dentes naquilo que é meu, naquilo que amo. Mas não acredito no amor eterno, isso é um qualquer resultado de um qualquer romance escrito por um escritor louco.
Sou única, peça impossível de reproduzir, e ainda bem, o mundo não ficaria melhor se houvesse alguém igual a mim.
Acredito no amo-te, mas acredito tb que alguém é capaz de te olhar nos olhos e estar-te a mentir. Acredito no desespero do amar, do querer, do fazer e dizer aquilo que nunca se achou capaz.
Acredito nas palavras de quem sofre. Indigna-me como se destrói algo tão rapidamente, algo que foi supostamente importante... em torno de quê? De um amor? E que diferença terá esse amor para outra qualquer coisa? Qualquer outra relação ou junção ou qualquer coisa acabada em "ão" que decidimos denominar.
Serei diferente porque sim e terá compensado a aposta? Em dúvida hoje! Em dúvida se todas as tão grandes decisões tomadas ultimamente serão as correctas, se as personagens serão as correctas. Se as palavras mentiras foram pronunciadas pelas pessoas certas ou pelas erradas...
Hoje, e como não há muito.... em dúvida...
Em dúvida se tudo vale a pena, se agora será diferente, se eu sou diferente, se eu sou importante...
E agora estranhamente, com vontade de me desprender... libertar de algo que não teve uma ponta de sinceridade desde o inicio...
E agora com vontade de gritar que não sei se quero mais... não sei se a minha dedicação foi a certa.
E agora com plena certeza, que ouvi mentiras que afinal eram verdade...
E com que certeza? Com que certeza sem trocar palavras com ninguém... com a certeza que não era do sapindus saponaria... era de mim, e de mim para ti, e de ti para outrém...
E 6 não é 4 e uma de desespero não são várias de prazer!
Agora se me apetecer entro no descontrolo erótico, merecias... fizeste-me isso...
E no fundo, sinto-me apenas uma repetição de estádios, sou a refinação dos temas e dos sítios, talvez agora a pessoa certa julga ele... mas sou única, não sou um copy paste com alterações a jeito.
Cansada... cansada da certeza da mentira presente sem total assunção disso. Agora não há volta a dar, e nem tema isto vai ser de uma qualquer conversa séria ou menos séria...
Não me arrependo de ter descarregado noutros, parte de mim ainda sente que isto é o correcto, mas que fui incorrecta por apenas acreditar num olhar profundo... isso sim, e tenho pena do ter feito, não tenho prazer especial em magoar ninguém. Eu própria fui atropelada.
Agora... com mais certeza ainda... sem dia certo e muito menos com aquele a que dás importância.
Certo, escrevi tudo de enfiada o que me estava na alma.
 
publicado por Ovelha Negra às 21:58

Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO