... o local onde grito sem medo, nem censuras...

08
Mai 09

Toca-me! Por favor toca-me! Faz-me sentir atraente, faz-me sentir sexy, faz-me sentir tesuda, que me desejas. Faz-me sentir que te provoco, faz-me sentir que não me resistes...

Não sei que se passa, antes achei que era o "peso" dos 8kg a mais que cá pairavam, que o que vias não te atraia, não te excitava. Que o esforço que não fazia, que o desleixo que tinha como características te faziam não ter vontade.

Depois passei a ter cuidado, muito cuidado! A alimentação passou a ser absolutamente seleccionada, correr passou a fazer parte do meu dia a dia, ir à balança passou a ser um hábito diário para me controlar... A roupa voltou a servir toda, alguma evidência já nas melhorias no corpo, voltei a ouvir piropos e assobios maldosos que até me fazem sentir bem... alguém reparou! Convites para café já surgem de desconhecidos... e aquele a quem quero verdadeiramente agradar... aquele que quero acima de tudo excitar, dar-lhe tesão mesmo... mal repara em mim...

Sento-me no sofá ao lado dele, depois de vestir uns calções curtinhos que supostamente adoraria por causa do pernão à mostra, um top decotado, que apesar de estar a meio tamanho, as minhas amigas ainda causam alguma sensação... solto o cabelo que está enorme, e que ele supostamente tanto adora, e... e nem o olhar consegui prender...

Vemos uma série? Qual?... Lost, Prison? Também há donas de casa desesperadas e californication... que queres? Quero-te a ti caramba! Quero que me olhes de alto a baixo, quero que me toques, quero que me desejes! Quero lá saber da porcaria das séries, ou filmes ou o raio que parta! Quero a tua atenção, o teu carinho, o teu toque, os teus beijos, o teu sexo! Sim, quero isto, sinto falta disto que é raro!

Qual é a justificação do dia a dia? estou cansado, estou irritado, estou dorido, estou a passar-me contigo, estou... estás desatento às minhas necessidades!

Passa por ti este auxilio à minha auto-estima para me sentir bem, para me sentir poderosa mesmo! Porque eu já gosto do que vejo, mas preciso que tu gostes também, e tens que partilhar isso comigo, porque nem sequer nas entrelinhas te diriges a mim! Não entendes as indirectas quando digo que um dia vou à praia, vou deixar que me seduzam, e vou para uma noite de loucura. Óbvio que isto não será assim linear, mas sim, preciso que se "metam" comigo, preciso de sentir que ainda provoco, preciso de sentir que existe atracção. Mas eras tu a prioridade. Porque é que são os restos que tenho de ti? Porque é que me pedes esforços, mas quando eu tos peço caem em saco routo?

Ontem deitas-te sem sequer um beijo partilhares, não tiras-te sequer as almofadas, enfiaste-te rapidamente debaixo do edredon. E ontem era o dia da camisola de saltos altos lembras-te? Não, não lembrás-te...

Tirei as almofadas já com imensos suspiros, e acabei por me deitar, triste claro, com um sentimento de rejeitada que não entendes, na realidade porque nem um esforço fazes para isso. Quando me deitei deves ter ainda a dormir sentido o meu corpo e aproximaste-te. Abraçaste-me, chegaste-me a ti, fizeste-me sentir-te. Acabas-te por despertar em mim um desejo, que deixei esfriar sem lhe dar muita importância, porque sabia que não ía passar daquilo, do toque que só a mim me provocou desejo. É um desejo que não entendes...

De manhã ao acordares, voltas-te a tocar-me... Tu não entendes... tu simplesmente não entendes a necessidade e vontade que tenho que me toques, que me agarres, que me beijes, mas que continues a fazê-lo, que me mostres que te excites comigo, que me mostres que queres fazer amor comigo, porque sim, porque há um desejo...

E depois, o sexo podia ser fenomenal, tens tudo para que o seja, mas quando acontece, é apenas sexo, sim com prazer, mas sexo. Básico, sem muita brincadeira, sem muita excitação. E por favor, entende que preciso de mais. Preciso da conquista constante, do variar, de utilizar brinquedos que nos deixem com a vontade ao rubro. Do atrasar ao máximo a tesão, de fazer de maneiras diferentes, do ganhar coragem com tempo, a desinibição, o perder a vergonha para poder olhar para ti e tantas outras coisas que poderiam ser mais excitantes... São as minhas necessidades que te passam completamente ao lado, que vês e sentes como secundário, mas que para mim e ainda por cima nesta fase da minha vida (e acredita há uma ligação directa ao facto de perder peso e de estar desempregada), preciso disto. Destes pormenores supostamente secundários que para mim são muito.

Estás  adar-me cabo da vontade! Mas da vontade contigo! E não é que não sinta desejo por ti, sinto muito, muito mesmo, tiras a camisa para vestires a t'shirt para te deitares, e olho para ti deliciada. Chegas a casa, a queixares-te de que tens calor, e aproximo-me de ti para te tirar a camisa, queria apenas olhar-te, tocar-te no peito. Queria caramba, posso ter quereres? Mas não, não me deixas, porque, bem, pelas mesmas razões de sempre...

Sabes, preciso que me olhem, que me admirem, sim, prende-se directamente com a minha auto-estima e é por isso que hoje não me importo que outros olhem, que outros comentem que não tu. A única coisa que se mantém, é que és o único que desejo que toque.

A intimidade para mim é importante, e se hoje me arrependo do que não fiz por olhar apenas para ti, acredita, esta situação só piora este sentimento...

Sempre achei que um problema sexual no casal era uma problema grave na relação... e é, sem dúvida. Temos um problema, quando reparas nisso?

publicado por Ovelha Negra às 12:23
sinto-me: desamada (se existir o termo)

Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
26
27
28
29
30

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO